Cocadaboa

Ele voltou?

Tentando ver se blogar está mais fácil ou difícil do que na minha época.

Wagner Martins, 36. Devo tudo que tenho a um blog, mas por uma década fui imbecil a ponto de abandoná-lo.

Seu estacionamento não vale mais do que minha vida

Caro cidadão que compartilha os espaços públicos da cidade de São Paulo comigo, tudo bem?

Seguinte: não pretendo que você passe a usar bicicleta no seu dia a dia. Sei que muita gente não pode. Seja por razões de distância, condição física, horários de trabalho ou estilo de vida.

Seria um absurdo eu querer impor uma opção de vida minha para você e outras pessoas. E eu sei que você também não está preocupado em me convencer a deixar a bicicleta em casa e sair de carro. Então o objetivo aqui não é dizer quem está certo. Ambos estamos!

Eu só quero um pouquinho de espaço. Espaço cada vez mais raro na cidade. A cada ano que passa são mais veículos e não dá para alargar todas as ruas e sair construindo mais viadutos e mergulhões. Fizemos isso nas últimas décadas e o problema só piorou.

Você pode pegar o seu carro e ir e vir para onde quiser. E eu posso pegar minha bicicleta e fazer o mesmo. Direitos iguais, opção de cada um. Não vou te julgar. Não levanto a bandeira de que "sou um carro a menos" ou "sou parte da solução". Levanto a bandeira de que cada um pode se deslocar pela cidade como preferir.

Achamos que somos inimigos, mas não somos. O verdadeiro inimigo são as vagas de estacionamento em algumas ruas. Várias vias importantes da cidade, que vivem quase sempre congestionadas, possuem espaço para estacionamento. Algumas em ambos os lados!

Tá faltando espaço para a gente andar e os caras ainda querem estacionar atrapalhando o fluxo de veículos? Por favor, engrosse a pressão comigo! 

Vamos pedir para o prefeito seguir eliminando vagas de estacionamento em algumas vias públicas. No espaço que elas liberam cabe um cantinho para eu andar de bicicleta com MUITO MAIS segurança, conforto e velocidade. E sem te atrapalhar! Além disso, as faixas de rolamento ficam mais amplas com o espaço que sobra. Assim você também poderá andar menos espremido. E sem esperar aquela pessoa que não sabe fazer baliza e trava ainda mais o rolé!

Afinal, o direito de estacionar de alguns não pode ser maior do que o nosso direito de ir e vir com mais eficiência, correto? A cidade continuará contando com áreas de estacionamento, públicas e privadas, capazes de, na medida do possível, atender a necessidade de todo mundo que precisar sair de carro.

Mas vamos só tirar algumas vagas do nosso caminho, por favor. Melhora pros ciclistas e melhora pros motoristas. Precisamos ir e vir (direito de todos). Já o direito de estacionar na porta da frente do seu destino e não na rua de trás não está na constituição. A vaga que o comerciante quer manter na frente de seu estabelecimento não consta em sua escritura de propriedade. Ele não é dono da rua!

Se o transporte é privado, o cidadão deve se contentar, em último caso, com vagas privadas. As vagas públicas são uma cortesia, mas a cada ano que passa o espaço está mais apertado e o setor público tem coisas mais importantes para resolver. Deixa o problema das vagas, que é enorme, ser resolvido pela iniciativa privada. Eles são mais eficientes em tudo e logo o livre mercado resolve!

Cordialmente, um cidadão como você.